pérolas cultivadas
Pérolas

Conheça as diferenças entre pérolas cultivadas em água doce e salgada

2.4 (48%) 5 votes

Se quando falamos sobre a origem das pérolas, na sua mente vem a imagem de uma ostra perfeita com uma única grande pérola em seu interior, talvez seja a hora de rever seu conhecimento sobre a joia.

O cultivo de pérolas em larga escala – em água doce e salgada – já é uma realidade desde o início do século XX e atualmente é a principal forma para se obter as joias. A pérola que se desenvolve de forma espontânea, ou seja, sem a intervenção do homem, é extremamente rara.

O maior produtor de pérolas cultivadas em água doce no mundo é a China, 95% das pérolas de água doce são originárias no país asiático. Isso porque a região é propícia devido ao seu clima, ph da água, entre outras variáveis – lá as ostras têm as condições perfeitas para se desenvolver.

Fazenda de cultivo de pérola de água doce (arquivo pessoal MBastos & CO)
Fazenda de cultivo de pérola de água doce (arquivo pessoal MBastos & CO)
Fazenda de cultivo de pérola de água doce (foto: shutterstock)
Fazenda de cultivo de pérola de água doce (foto: shutterstock)

Como é formada a Pérola?

No processo espontâneo, no qual não existe interferência humana, um agente estranho (grão de areia, por exemplo)  entra na concha e ela, para se proteger, envolve o corpo com camadas de nácar (cálcio carbonado), criando a pérola. Contudo, como dito anteriormente, essas são muito raras, representando uma em um milhão.

Nas joias cultivadas, um corpo estranho, mais especificamente uma parte de outro molusco (nada de grão de areia), é injetado na ostra e então o molusco se encarrega de cobri-lo com camadas e mais camadas de nácar, até formar a joia. Ação que pode levar de 3 a 7 anos, dependendo do tamanho desejado da pérola. O lustro, ou seja, o brilho, depende principalmente da idade da concha, quanto mais velha, mais brilhante e grande a pérola.

Membrana extraída da ostra que será inserida novamente em seu interior (fonte: Pearls only)
Membrana extraída da ostra que será inserida novamente em seu interior (fonte: Pearls only)
Laboratório de cultivo de pérolas (fonte: Pearls only)
Laboratório de cultivo de pérolas (fonte: Pearls only)

O cultivo

A tecnologia para o cultivo das pérolas também melhorou muito ao longo dos anos. Ao contrário do que muitos imaginam, cada ostra não produz apenas uma pérola, hoje já é possível a produção de até 30 joias em uma ostra, isso se estivermos falando das pérolas de água doce. Quando se trata das pérolas de água salgada, a produção é mais limitada – até 5 joias por molusco.

Ostra de água Salgada x Ostra de água doce (fonte: Shutterstock)
Ostra de água Salgada x Ostra de água doce (fonte: Shutterstock)

O processo de produção de pérolas em água salgada é mais trabalhoso e demorado. Isso porque as ostras são cultivadas em uma profundidade que exige mergulhadores para a retirada dos moluscos. No cultivo de água doce, elas são facilmente recolhidas, já que são colocadas mais próximas à superfície.

Cultivo de pérolas em água salgada / Cultivo de pérolas em água doce
Cultivo de pérolas em água salgada – fonte: National Geographic / Cultivo de pérolas em água doce – Fonte: Shutterstock

Cores

Além da diferença na quantidade de pérolas produzidas, as ostras de água salgada e doce são capazes de produzir cores distintas. Enquanto o molusco de água doce produz pérolas brancas, rosadas e em tons de lilás, os que vivem no ambiente marinho podem desenvolver também pérolas negras e douradas. As pérolas cultivadas em água doce são tingidas para que adquira cores que são exclusividade das pérolas de água salgada.

Reprodução/Pinterest
Reprodução/Pinterest

Forma

Como acompanham o formato interno das conchas, as pérolas podem ter formas variadas. As perfeitamente esféricas são mais raras e geralmente nascem no centro da ostra. Já nas extremidades surgem pérolas com irregularidades e formas diferentes – com estrias e formato achatado, por exemplo.

As pérolas redondas são mais raras e também mais valorizadas comercialmente. Contudo, as pérolas que têm irregularidades também são usadas para fabricação de joias, mas possuem um valor de mercado mais baixo.

Durabilidade

As pérolas de água salgada têm uma camada de nácar mais fina se comparadas com as de água doce, o que faz com que sua durabilidade seja de aproximadamente 70 anos. Em contrapartida, as de água doce são mais rígidas e têm a camada de nácar mais espessa, particularidade que aumenta sua durabilidade: 100 anos em média.

Katherine heigl - pérolas de água doce / pérolas de água salgada
Katherine heigl – Pérolas de água doce / Pérolas de água salgada
Michelle Obama - Pérolas de água salgada - pérolas de água doce
Michelle Obama – Pérolas de água salgada / Pérolas de água doce

Custo x Benefício

As joias produzidas em água salgada são supervalorizadas, principalmente por serem mais raras e pelo fato da sua produção ter um custo mais alto, já que uma ostra produz no máximo 5 joias. Por outro lado, as pérolas de água doce tem um custo mais baixo, porém, possuem tanta qualidade e beleza quanto as de água salgada.

E então, você conhecia todas essas variações sobre as pérolas? Deixe um comentário!

Conheça as pérolas da MBastos clicando aqui!

Comente aqui ↓

1 Comentário

Deixe seu comentário